fbpx

Uma conversa sobre síndromes, transtornos, distúrbios . . .

Uma conversa sobre síndromes, transtornos, distúrbios . . .

Vamos conversar um pouquinho?

Com este texto, quero “bater um papo” com você que acompanha o meu trabalho. Por motivos óbvios vou falar primeiro..haha, mas espero seu comentário depois!

Para começar, preciso dizer que sempre que recebo um e-mail com perguntas sobre como trabalhar com uma criança com diagnóstico de algum transtorno, síndrome, etc, eu me solidarizo com quem me envia a pergunta. E por um motivo muito simples: já li muitos livros e fiz diversos cursos procurando respostas às in-fi-ni-tas perguntas sobre o tema. Claro que muitas vezes a minha expectativa foi maior do que o resultado obtido.

No entanto, hoje me sinto mais tranquila (mas não acomodada). É evidente que o estudo e a vivência prática me fortaleceram nessa caminhada, mas a maneira com que eu aprendi a lidar com esses diagnósticos, e que quero compartilhar, foi que parei de olhar para eles com medo e insegurança. Quer saber? Na verdade, eu simplesmente mudei o foco do meu olhar, da minha escuta. Hoje, ao invés de olhar uma folha de papel, olho o ser humano à minha frente, que – assim como eu e você – está em desenvolvimento.

Se eu pudesse dizer o que considero de mais importante no nosso trabalho, sem dúvida nenhuma, diria: estudar, estudar muito mesmo(!); mas escutar, olhar, sentir o aluno/paciente é primordial. Sem isso o trabalho não flui!

Quanto a algumas sugestões práticas posso afirmar que todas, absolutamente todas as atividades disponíveis neste site (clique em jogos brincadeiras e muito mais…) foram aplicadas com diversas crianças. O que acontece é que é necessário aprimorar a sua sensibilidade e se perguntar: O que meu aluno/paciente já sabe? Qual habilidade precisa desenvolver? Sabendo isso você será capaz de escolher a melhor atividade.

Ainda quero contribuir um pouco mais e por isso vou citar alguns quesitos importantes – não são os únicos – para a aprendizagem acontecer com mais eficiência. O único detalhe é que não vou dizer: esta é para síndrome tal, para transtorno tal… Você terá que refletir baseado em suas próprias observações qual atividade seu aluno/paciente está precisando. Eu não posso dizer, simplesmente porque não o conheço. E um diagnóstico não fará com que eu o conheça. Eu me sentiria uma charlatã se fizesse isso.

Vamos lá:

O vocabulário: Muitas crianças encontram dificuldade na realização de atividades porque tem um conhecimento restrito de conceitos.

Pensamento lógico: O número é algo que é construído individualmente por muitos anos através da criação e coordenação de relações. Quando um adulto consegue criar um ambiente que indiretamente encoraje o pensamento das crianças acaba por surpreender-se com a quantidade de relações que elas por si acabam por demonstrar. As situações de conflito são ótimos momentos para colocar as coisas em relações e desenvolver a mobilidade e a coerência do pensamento. Se ao contrário de ser reprimida, a criança for encorajada a discutir ou justificar uma decisão estará desenvolvendo de uma maneira indireta o seu pensamento lógico. Leia mais…

Percepção (tátil, olfativa, visual, auditiva…). Sabe aquela criança que você diz que não tem memória? É possível que a dificuldade dela esteja no fato de não ter boa percepção.

Por fim, preciso terminar essa conversa dizendo-lhe que acredite, tenha confiança e principalmente persistência. Entendo que vivemos em uma era que queremos tudo para ontem, mas nós seres humanos precisamos de tempos diferentes. Também não é para ficar esperando que as coisas aconteçam, ok? Não menospreze a capacidade de aprendizagem do ser humano, que é infinita, mas absolutamente particular. Jamais um diagnóstico será capaz de medir e determinar o quanto um indivíduo tem de capacidade para se desenvolver. Porém, o seu olhar poderá ser capaz de incapacitar ou capacitar. Pense nisso!

Bom, acho que já falei demais, e não quero que nossa conversa se transforme em um monólogo, então agora é a sua vez.  Espero que não me deixe aqui falando sozinha…rs

________________________

Apostila em PDF 

15 Comentários

  • Fátima Postado 28 28-03:00 outubro 28-03:00 2016 12:36 PM

    Concordo Sol, excelente suas sugestões de intervenção,bjs.

  • profcarolbitencourt Postado 20 20-03:00 março 20-03:00 2016 2:50 PM

    Sol parabéns seu site é ótimo!

  • zemira Postado 3 03-03:00 setembro 03-03:00 2013 10:48 PM

    Solange,
    Passei a conhecê-la graças a uma amiga que indicou o seu contato pelo face. Estou gostando muito das ideias, artigos, muito bom. Não vi nada comparado, ainda. Estou muito angustiada, pois retomei a psicopedagogia há alguns meses. Estou com dois atendimentos um tanto complexos. Me vi em vc qdo citou que o seu espaço de atendimento ao lado da sua casa, o meu tbm é, mas não tenho o privilegio de ter um pé de laranjeira. Fica com Deus.

    • Solange Moll Postado 4 04-03:00 setembro 04-03:00 2013 6:59 AM

      Zemira, fiquei emocionada! Se precisar de mim, estou aqui. Bjo

  • odete Postado 6 06-03:00 julho 06-03:00 2013 1:20 AM

    concordo plenamente com o que escreveste,parabens

  • Fernanda Macedo Postado 12 12-03:00 maio 12-03:00 2013 10:49 AM

    Queria perguntar qual a atitude que eu devo ter para com a minha filha de 16 anos, anda no 10º ano, que não gosta de estudar, não gosta de socializar, acha que as pessoas são todas falsas e que ninguem é amigo de ninguém e que só há interesses entre a raça humana. Fico louca com as frases dela. Ajudem-me por favor. É arrogante para todas as pessoas e envergonhada também

    • Solange Moll Postado 12 12-03:00 maio 12-03:00 2013 2:45 PM

      Fernanda, sugiro que você procure orientação com um psicólogo.

  • Maria Luisa Guimarães Postado 3 03-03:00 abril 03-03:00 2013 10:44 AM

    Achei sensacional esse site, pois estou cursando Pedagogia e sinto uma necessidade muito grande de aprender mais! A minha turma na faculdade(UERJ), tem um grupo no Facebook e com certeza vou divulgar esse site para que meus colegas possam também curtir e aumentar em conhecimento ! Obrigada pelas dicas !!!!

    • Solange Moll Postado 3 03-03:00 abril 03-03:00 2013 10:48 AM

      Fico realmente muito feliz em saber que estamos contribuindo. bjos. Volte sempre!

  • Leandra Postado 13 13-03:00 setembro 13-03:00 2012 3:52 PM

    Gostei muito de ter conhecido esse site… com certeza vai ajudar muito aqui na escola… vou divulgar nas reuniões pedagógicas…

  • maria Postado 13 13-03:00 setembro 13-03:00 2012 10:29 AM

    Oi, Preciso conhecer mais sobre assunto.Bjos

  • Ruth Postado 5 05-03:00 julho 05-03:00 2012 11:10 AM

    Querida Sol!

    O que acabei de ler é exatamente o meu pensamento e ainda digo mais, somos todos seres com algumas necessidades específicas a ser exploradas, porque então crucificar meu aluno e discriminá-lo sabendo que estimulando-o concretamente conseguirá avançar em seus conhecimentos?
    Beijo
    Ruth

    • Solange Moll Postado 5 05-03:00 julho 05-03:00 2012 3:08 PM

      (rsrs) é verdade Ruth, todos temos necessidades específicas. Bjos

  • Kathy Maiochi Postado 4 04-03:00 julho 04-03:00 2012 6:56 PM

    Olá! Concordo… é preciso conhecer nosso aluno… eles são diferentes e aprendem de forma diferente… cada um do seu jeitinho. Uso muitos jogos em sala de aula e tenho alcançado bons resultados com todos da turma…
    Beijos

    • Solange Moll Postado 5 05-03:00 julho 05-03:00 2012 3:09 PM

      joia kathy! Bjos

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado.