24th jan 2013

Desculpe-me a sinceridade deste texto, mas fico incomodada toda vez que vejo um bebê em um andador. E, de tão incomodada, não poderia deixar de dizer aqui minha opinião sobre esse tema. Não tenho receio de que me achem exagerada ou chata. Sei que estou prestando um serviço de alerta à sociedade. Quando presencio um bebê em um andador dou um jeitinho (tem que ser com jeitinho) de dizer aos pais sobre os riscos e de que na minha opinião o mesmo deveria ser abolido. Aliás, no Canadá é proibida a venda e qualquer tipo de propaganda deste equipamento desde 2007. Por que será?

Não é à toa que a Sociedade Brasileira de Pediatria se manifesta contra o uso do andador.  É falsa a impressão que os pais tem de estar proporcionando mais segurança para seus filhos, pelo contrário, segundo pesquisas: “um terço dos acidentes com andadores trazem lesões graves às crianças, como fraturas e traumatismo craniano, além de queimaduras, intoxicações ou até afogamentos decorrentes do uso do equipamento. Dos casos mais graves, cerca de 80% são de quedas de escadas.”

Se ainda assim, você não está convencido(a) e acha que está ajudando o desenvolvimento do seu filho(a), que assim ele irá aprender a andar mais rápido, sinto muito em lhe informar que você está redondamente enganado(a). Ouça esta entrevista com a Dra. Renata Waksman, pediatra do Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), e do Hospital Israelita Albert Einstein de São Paulo, disponível em: http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2013/noticias/rwalksman_130121.mp3

Então, ainda tem certeza que vale a pena correr o risco?

Que tal deixarmos nossas crianças, andar, correr, pular, experimentar, vivenciar e também… engatinhar?!

É isso, bjo no coração!

Referências

Pediatras fazem campanha contra andador.<http://jconlineblogs.ne10.uol.com.br/olhovivo/2013/01/22/pediatras-fazem-campanha-contra-andador/> Acesso em 24/01/2013.

Sociedade Brasileira de Pediatria. <http://www.sbp.com.br/show_item2.cfm?id_categoria=52&id_detalhe=1791&tipo=D.> Acesso em 24/01/2012.

Especialista em Psicopedagogia Clinica e Institucional. Formação em Avaliação Dinâmica do Potencial de Aprendizagem e em PEI (Programa de Enriquecimento Instrumental) pelo CDCP (Centro de Desenvolvimento Cognitivo do Paraná) Centro de Treinamento Autorizado pelo Hadassah Wizo-Canada Reserach Institute e pelo ICELP - The Internacional Center for the Enhancement of Learning Potential, Jerusalém - Israel. Experiência em alfabetização e dificuldades de aprendizagem. Autora do e-book: "Mamãe, deixe-me crescer" e idealizadora da Revista Psicosol. Ama ler e tem levado bem a sério a sua brincadeira de escrever.

Um comentário em “Andador, foraaa!

  1. Ana Paula Araújo Amaral Santos on said:

    Perfeito, desde a minha formação como fonoaudióloga, quando ouvi de minha professora de psicomotricidade o mal que um andador pode fazer, levanto a bandeira contra os andadores. Já fui taxada de chata, mas quando argumento as inúmeras rações contra o andador, as pessoas acabam entendendo. Também não posso ver uma criança de andador, que vou conversar com os responsáveis sobre o mal que estão proporcionando para aquela criança. Adorei a matéria, parabéns pelo texto. Vamos aos poucos tentando conscientizar a população dos malefícios do andador e dos benefícios de colocarmos nossos bebês no chão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *