Descomplique

Descomplique

O-lá!

Você acha que o método de alfabetização interfere no processo de construção de escrita das crianças? Eu não saberei qual a sua resposta, a menos que você deixe nos comentários. No entanto, posso dizer o que entendo a esse respeito a partir da minha prática e dos meus estudos. Sim, interfere! E mais, não existe uma abordagem tão eficiente que seja capaz de alfabetizar todas as crianças.

Ou seja, para alfabetizar é preciso muito estudo! Conhecer as abordagens, saber os seus vieses! Agora, é fundamental desenvolver uma sensibilidade para identificar de qual forma a criança que você tem a sua frente aprende, pois como diz Magda Soares (2016, p. 52):

[…] quem alfabetiza não são os métodos, mas o alfabetizador(a) […].

E o processo de alfabetização não termina quando a criança já escreve alfabeticamente. É preciso mais! 

O recurso que eu trouxe como sugestão hoje é adequado para crianças que já estão lendo, mas precisam melhorar a compreensão e interpretação de texto.  Para uma ludicidade, as palavras estão ao contrário. As crianças gostam de desafios assim.

Veja a explicação do jogo:

Peça que a criança escolha uma carta e, nesta carta, tente descobrir as palavras que estão ao contrário. A criança deve escrever uma a uma em uma folha.

Após, precisa organizar as palavras e colocar pontuação de maneira a formar um texto coerente e coeso.

Para finalizar, ela pega a carta-gabarito (que tem o mesmo número) para conferir.

Observação: não deixe de validar o texto da criança se, por acaso, ela organizar as palavras de uma maneira diferente do gabarito, mas que faça sentido.

É isso! Espero que este conteúdo tenha contribuído.

Um forte abraço e até o próximo post 😉

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

SOARES, Magda. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2016.

Clique no link abaixo para adquirir o arquivo PDF contendo: 15 cartelas com textos e imagens, 15 cartas-gabarito, 01 embalagem, instruções de uso. É enviado por e-mail para você imprimir, montar e jogar 🙂

Comentar

Deixe um comentário