Oie!!!

Nós queremos que a criança acredite na sua própria capacidade de pensar, certo? Também sabemos que a construção do número envolve um conhecimento muito maior do que saber recitar os números decor, não é mesmo?!

Então, uma boa estratégia para estimular a construção do número e também contribuir para que a criança acredite em si mesma é trabalhar com estimativa, pois ela terá que recorrer as suas experiências para resolver um problema. Talvez na primeira tentativa ela realmente “chute” sem nenhuma estratégia lógica, mas, pouco a pouco conforme a criança for estimando e verificando se chegou perto, se ficou longe,… ela vai começar a pensar logicamente antes de sugerir uma quantidade. Na verdade, o que mais queremos é que a criança chegue o mais próximo possível e não, necessariamente, acerte “na mosca”. Mas, se acertar, vamos comemorar \o/.

Sugestão de materiais:

– uma pasta arquivo (aquelas com plástico) com quantidades diferentes de figuras em cada página. O material que utilizamos está disponível em arquivo PDF na nossa loja. Clique no final deste post para adquirir;
– canetinha;
– flanela.

Procedimento:

A criança deverá observar as marcas de patas na página e, sem contar, dar um palpite de quantas têm. Após, ela deverá contar. Por último, ela verifica a diferença de quantas ela achou que tinha e quantas realmente têm.

Simples e maravilhosa esta atividade, vocês não acham?!

Ah, as anotações podem ser feitas com canetinha sobre o plástico. Após o uso é só apagar com uma flanela.

Bjão e tchau! 🙂

Clique abaixo para adquirir o arquivo PDF com 15 páginas para esta atividade. É enviado por e-mail.

Especialista em Psicopedagogia Clinica e Institucional. Formação em Avaliação Dinâmica do Potencial de Aprendizagem e em PEI (Programa de Enriquecimento Instrumental) pelo CDCP (Centro de Desenvolvimento Cognitivo do Paraná) Centro de Treinamento Autorizado pelo Hadassah Wizo-Canada Reserach Institute e pelo ICELP - The Internacional Center for the Enhancement of Learning Potential, Jerusalém - Israel. Experiência em alfabetização e dificuldades de aprendizagem. Autora do e-book: "Mamãe, deixe-me crescer" e idealizadora da Revista Psicosol. Ama ler e tem levado bem a sério a sua brincadeira de escrever.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *