Fichas de registro

Fichas de registro
Compartilhe

Oie!!! Gente, assim como vocês, com a pandemia do Coronavírus, estamos tendo que nos adaptar nos espaços familiar, social e profissional. Nos adaptar significa também criar estratégias para lidar da melhor forma possível com o momento que estamos vivendo.

Aproveitar a experiência conhecida e transformá-la através do ato criador faz parte do processo de aprendizagem do(a) profissional que vai mediar o conhecimento. (BARBOSA, 2002, p. 34).

Pelas mensagens que temos recebido, sabemos que muitos profissionais da educação/saúde estão fazendo atendimentos on-line. Precisamos estar cientes que ter um registro destes momentos é tão importante quanto dos atendimentos presenciais para que as intervenções sejam mais assertivas. Sendo assim, desenvolvemos o material que estamos compartilhando com vocês para auxiliar na organização das informações dos pacientes/aprendentes, bem como no registro das sessões.

Está disponível GRATUITAMENTE o arquivo PDF com este material na nossa loja. Tem link para adquirir no final deste post. Uhuu!!!

Sugestões de uso:

São três fichas diferentes de registro. Vocês podem organizá-las em uma pasta catálogo.

Primeira ficha: anotar as informações consideradas mais importantes sobre o aprendente. Se você é psicopedagogo(a), são alguns dos dados coletados, geralmente, na anamnese com os pais, responsáveis e escola:

  • Nome do aprendente;
  • Data de nascimento;
  • Interesse(s): o que ele/ela gosta de fazer, aprender;
  • Queixa(s): dificuldade(s) relatada(s) pela família e escola;
  • e outras informações importantes.

Atenção! Nesta ficha não constam todos os dados coletados em uma anamnese. É apenas um resumo das informações mais importantes que podem contribuir nas intervenções.

Segunda ficha: anotar números de telefones para contatos:

  • Família, escola e outros profissionais que atendam o paciente/aprendente.

Terceira ficha: Registrar de maneira sucinta como foi a sessão com o aprendente. Nela constam os seguintes campos:

  • Nome do aprendente;
  • Número da sessão;
  • Síntese da sessão (qual avaliação ou intervenção foi feita naquele dia);
  • Algo que o aprendente disse ou fez que chamou atenção;
  • Lembrete para próxima sessão (exemplo: trabalhar trocas F/V);
  • Combinados (exemplo: “J” vai trazer um brinquedo ou livro que gosta na próxima sessão);
  • Avanços e dificuldades percebidas durante a sessão.
  • Nível de interesse do aprendente. Neste campo sugerimos pintar as estrelas de acordo com o que for percebido ou o próprio aprendente relatar durante a sessão. Uma estrela: pouco interesse, duas estrelas: médio interesse, três estrelas: muito interesse.

Estas anotações serão muito úteis para, ao longo do trabalho, vocês conhecerem melhor o perfil do aprendente (potencial, dificuldades, atitudes que se repetem, etc.) e, assim, organizar intervenções mais assertivas.

Gente, acreditamos que o carinho investido na organização deste material é perceptivo em cada detalhe. Esperamos que vocês possam fazer um bom uso! Se ficaram dúvidas, deixem nos comentários que teremos o maior prazer em responder. A dúvida de um pode ser a mesma de outro, então fiquem à vontade para perguntar, ok?!

Um forte abraço,

Até o próximo post.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

BARBOSA, Laura Monte Serrat. PCN: parâmetros curriculares nacionais: o papel da escola no século XXI. Curitiba: Bella Escola, 2002.

Clique abaixo para adquirir o arquivo PDF GRÁTIS com 3 fichas diferentes de registro. É enviado por e-mail. Você poderá imprimir quantas vezes quiser.

Compartilhe

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *