8th nov 2013

Propor-se a trabalhar como professor é antes tudo acreditar que você é capaz!

Que você é capaz de perseverar. Se pelo caminho tiver vontade de chorar, vai chorar, mas se for preciso começar do zero, do zero irá começar, porque você compreende que nem tudo acontece no tempo e ritmo planejado.

Que você é capaz de lidar com situações difíceis e desafios quase todos os dias!

Que você é capaz de se emocionar muitoooo… a ponto de ficar com olhos cheios de lágrimas quando ouvir estas duas palavras: “hã, entendi!”.

Que você é capaz de promover o bem! Mesmo quando tem uma turma do contra tentando fazer você acreditar justamente o contrário.

Que você é capaz de sair do papel de “pobre coitado”, pois merece ser valorizado e não precisa provar isso porque é visível na excelência com que você desenvolve o seu trabalho.

Que você é capaz de lidar muito bem com aquele nariz torcido toda vez que diz: “sou professor”, porque afinal de contas, você é feliz com a escolha que fez e sabe que a sua profissão é para os fortes!

Por fim (mesmo sem ser o fim), você é capaz de acreditar na sua capacidade para aprender antes de acreditar na sua competência para ensinar.

Especialista em Psicopedagogia Clinica e Institucional. Formação em Avaliação Dinâmica do Potencial de Aprendizagem e em PEI (Programa de Enriquecimento Instrumental) pelo CDCP (Centro de Desenvolvimento Cognitivo do Paraná) Centro de Treinamento Autorizado pelo Hadassah Wizo-Canada Reserach Institute e pelo ICELP - The Internacional Center for the Enhancement of Learning Potential, Jerusalém - Israel. Experiência em alfabetização e dificuldades de aprendizagem. Autora do e-book: "Mamãe, deixe-me crescer" e idealizadora da Revista Psicosol. Ama ler e tem levado bem a sério a sua brincadeira de escrever.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *