Achados e Perdidos

Achados e Perdidos

O-lá!

Alfabetizar, eis uma tarefa que é para os fortes! Sim, não é um trabalho para qualquer pessoa. Lembro que quando estava em sala de aula ouvia muito: “Ah, você trabalha com os pequenos! Ensina a ler e escrever, isso é fácil!”. Com o tempo, eu entendi que não adiantava tentar argumentar com quem não estava ali na lida diária, no chão de sala de aula com crianças. Penso que cada etapa do ensino traz suas facilidades e desafios. Cabe a cada profissional se preparar para a área que escolheu e com a qual tem mais afinidade.

Na alfabetização, por exemplo, um dos desafios constantes é adaptar as atividades para cada hipótese de escrita. Isto é necessário porque nem todas as crianças evoluem no mesmo ritmo. O que é fácil para uma criança, pode ser muito difícil para a outra… E não é possível ficar antecipando etapas. Isso seria como construir uma casa sem fazer o fundamento.

[…] um aprendizado que se antecipe à maturação da criança não é apenas inoportuno porque exige um gasto de energia inútil, […] mas também porque a criança faz esse trabalho contra a sua vontade, ou se distancia do tal trabalho porque lhe associa aos desagradáveis sentimentos de fracasso. (FALK, 2010, p. 80).

O jogo que eu trouxe como sugestão hoje, da maneira que ele foi organizado, pode ser muito complexo para crianças que estejam apresentando hipótese de escrita pré-silábica. Sendo assim, você pode, por exemplo, previamente escrever junto com as crianças a palavra completa e dizer para elas primeiro verificarem (comparando a sua escrita com a palavra que está na ficha) qual sílaba está faltando na carta. Só então iniciar a jogada!

Enfim, é preciso estar sempre prestando muita atenção para adaptar os jogos às necessidades de cada criança e assim ter mais assertividade nas intervenções.  

Sugestão de uso:

Esconda as cartas com sílabas pela sala ou coloque dentro de um saco.

Uma das crianças pega uma carta em que está faltando uma sílaba. Discutem entre elas para descobrir qual sílaba está faltando. Esta é a “sílaba perdida”.

Quando já souberem qual sílaba está faltando, elas devem, procurar pela sala ou, se você colocou em um saco, cada uma na sua vez, tirar uma carta. Quem encontrar a “sílaba perdida” recebe uma “ficha diamante”.

Ganha o jogo quem conquistar primeiro 3 fichas diamante.

Importante: Se você colocar as fichas com sílabas em um saco elas devem ser devolvidas ao saco após um jogador encontrar a sílaba perdida.

Este jogo vai ser super divertido!!!

É isso! Espero que o jogo contribua!

Um forte abraço!

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

FALK, Judit. Abordagem Pikler: educação infantil. São Paulo: Omnisciência, 2010.

Clique no link abaixo para adquirir o arquivo digital formato PDF contendo: 18 cartas com imagens, 18 fichas com sílabas, 18 fichas diamante. É enviado por e-mail para você imprimir, montar e jogar.

Comentar

Deixe um comentário